Balanço imobiliário em Portugal

Balanço imobiliário em Portugal

Os preços das casas têm vindo a recuperar a um ritmo superior ao verificado nos restantes países europeus, numa média 5% por ano. Esta recuperação dos preços da habitação em Portugal começou a acentuar-se nos últimos anos devido à crescente melhoria da economia, aos elevados investimentos internacionais, e ao crescente desequilíbrio entre uma procura e a escassez de oferta. O mercado habitacional continua muito forte, tendo em conta que a procura continua a ultrapassar a oferta originando a escassez de imóveis para venda.

É na capital portuguesa que as casas são mais caras. Aliás, diz a agência de estatísticas que na cidade de Lisboa há cinco freguesias com valores medianos acima dos 3.500 euros por metro quadrado. De acordo com o INE o preço mediano da habitação manteve-se acima do valor nacional nas regiões do Algarve (1.500 euros/m2), Área Metropolitana de Lisboa (1.318 euros/m2) e Região Autónoma da Madeira (1.203 euros/m2).

Lisboa
A capital portuguesa apresenta qualidades únicas para atrair investimento, com uma baixa taxa de criminalidade, muito sol, uma excelente qualidade de vida, e generosas taxas de retorno.
O centro histórico é o mais procurado pelos estrangeiros, uma vez que nele se encontram apartamentos de luxo a metade do preço de outras capitais europeias.
Sendo capital e também motor económico do país, Lisboa continua sendo atrativa para muitos investidores. Com destaque cada vez maior de compradores chineses, brasileiros, sul africanos, russos, turcos e de países europeus tais como França e Reino Unido. Boas infra-estruturas e ligações aéreas combinados com a divulgação dos atrativos turísticos desta cidade secular cheio de charme, de vida e de modernidade contribuíram muito a manter o interesse em Lisboa.

Algarve
O Algarve é uma zona de grande dinamismo urbanístico. Os ingleses, franceses, alemães e holandeses são grandes compradores de apartamentos e casas nesta zona para gozar a reforma e as férias, com a crise que sofreram no próprio país puseram os investimentos nesta zona para gozar de um nível de vida mais elevado relativamente aos seus países de origem.

Loading
Back to top